Pregação Р25/11/2012 РDomingo Cristo Rei

Jo√£o 18.33-37 ‚Äď Jesus √© Rei. Mas que Reino √© este?

CECLB

Brasília, DF, 25 de novembro de 2012

Domingo Cristo Rei

Textos: Dn 7.9-10, 13-14; Sl 93; Ap 1.4-8; Jo√£o 18.33-37

P. Daniel Conte

Jo√£o 18.33-37 (NTLH)

33 Pilatos tornou a entrar no palácio, chamou Jesus e perguntou: РVocê é o rei dos judeus?
34 Jesus respondeu: РEsta pergunta é do senhor mesmo ou foram outras pessoas que lhe disseram isso a meu respeito?
35 РPor acaso eu sou judeu? Рdisse Pilatos. РA sua própria gente e os chefes dos sacerdotes é que o entregaram a mim. O que foi que você fez?
36 Jesus respondeu: РO meu Reino não é deste mundo! Se o meu Reino fosse deste mundo, os meus seguidores lutariam para não deixar que eu fosse entregue aos líderes judeus. Mas o fato é que o meu Reino não é deste mundo!
37 – Ent√£o voc√™ √© rei? – perguntou Pilatos. – √Č o senhor que est√° dizendo que eu sou rei! – respondeu Jesus. – Foi para falar da verdade que eu nasci e vim ao mundo. Quem est√° do lado da verdade ouve a minha voz.

Prezada Comunidade,

Neste Domingo, reunimo-nos em culto celebrando o √ļltimo domingo do ano de acordo com o calend√°rio eclesi√°stico. Este domingo tem sido chamado de diferentes maneiras: a) √öltimo Domingo do Ano Eclesi√°stico, b) Domingo da Eternidade, c) Domingo de Cristo Rei.

Ao findar um per√≠odo da caminhada crist√£, e √†s v√©speras de iniciar outro, lembramos que Deus √© eterno, o alpha e o √īmega, o princ√≠pio e o fim, o primeiro e o √ļltimo. Ele era antes de existirmos. E permanecer√° soberano tamb√©m depois do eventual fim de toda exist√™ncia. E at√© nos inspiramos no Salmo que diz ‚ÄúLembra-te, SENHOR, das tuas miseric√≥rdias e das tuas bondades, que s√£o desde a eternidade.‚ÄĚ (Salmo 25.6)

Lembramos também que, como Soberano, Deus é Rei. Ele reina e faz valer a sua vontade. A pergunta pelo REINADO E PELO REI são precisamente os temas do texto do Evangelho sugerido para nossa reflexão neste dia.

De um lado temos Pilatos, Procurador Romano na Jud√©ia. O governo de Pilatos √© regido pela ambi√ß√£o, autoritarismo e viol√™ncia, aspectos t√≠picos do Imp√©rio Romano de ent√£o, bem como dos reinos deste mundo. No outro lado, temos Jesus, que √© ‚Äúentregue‚ÄĚ a Pilatos, sendo acusado pelos l√≠deres Judeus de fazer-se ‚ÄúRei dos Judeus‚ÄĚ.

O Reino de Deus, de fato, sempre foi um aspecto central do ensino de Jesus. Ao iniciar o seu minist√©rio, segundo o Evangelho de Marcos, a prega√ß√£o de Jesus se resume em ‚Äú√Č chegado o Reino de Deus. Arrependei-vos e crede no evangelho‚ÄĚ (Mc 1.15). Ao ensinar as multid√Ķes por par√°bolas, muito frequentemente Jesus iniciava seu discurso dizendo ‚ÄúO Reino de Deus √© semelhante a…‚ÄĚ. Em todo seu ensino, Jesus sempre deixou claro que Deus √© soberano sobre todas as realidades da exist√™ncia e do universo.¬† Ao dizer ‚Äúdai a C√©sar o que √© de C√©sar e a Deus o que √© de Deus.‚ÄĚ, Jesus n√£o negou a exist√™ncia (e at√© mesmo certa legitimidade) dos reinos do mundo, mas tamb√©m deixou clara a exist√™ncia de um Reino que est√° acima destes. Tamb√©m por isso Jesus disse a Pilatos (19.11): ‚ÄúNenhuma autoridade terias sobre mim se de cima n√£o te fosse dada.‚ÄĚ

Em nenhum momento, vemos Pilatos preocupar-se com delitos cometidos por Jesus. O pano de fundo do interesse de Pilatos é manter o poder romano intocado e inquestionado. Pilatos investiga, no transcorrer do interrogatório, a realeza de Jesus.

O of√≠cio de Pilatos era governar a Palestina de tal forma que nenhuma amea√ßa √† soberania do Imp√©rio Romano se levantasse. Seu¬† temor constante era que mais uma revolta se instalasse e por alega√ß√£o de incompet√™ncia Pilatos fosse destitu√≠do do seu cargo. Ele queria saber se Jesus representava uma amea√ßa. Contudo, as palavras de Jesus deixam Pilatos confuso e curioso: ‚Äúo meu reino n√£o √© deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que n√£o fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino n√£o √© daqui.‚ÄĚ (v. 36).

Jesus n√£o veio instalar um reino pol√≠tico-militar, econ√īmico e impositivo, conforme os termos do Imp√©rio Romano. O Reino de Jesus √© diferente. √Č definido por outros termos: VERDADE, [justi√ßa, gra√ßa] . ‚ÄúFoi para falar da verdade que eu nasci e vim ao mundo. Quem est√° do lado da verdade ouve a minha voz.‚ÄĚ (v. 37) .

Quando Jesus fala sobre Verdade, n√£o fala em termos filos√≥ficos. Fala em termos pessoais e concretos. Ele j√° havia expressado que a Palavra de Deus √© a Verdade, que ele mesmo falava a Verdade, que o seu Esp√≠rito a ser enviado como Consolador seria tamb√©m chamado de Esp√≠rito da Verdade. Por fim, Jesus apontou para si mesmo como sendo ‚Äúo caminho, A Verdade, e a vida.‚ÄĚ (Jo 14.6) [Jo√£o testemunha que Jesus veio ao mundo e habitou entre n√≥s, cheio de Gra√ßa e de Verdade (Jo 1.14)]. A Verdade que Jesus proclama [e que est√° nele e se personifica nele] √© esta: Que Deus √© Rei soberano. Seu reino esta acima de qualquer reino. Ainda que por vezes os sinais deste reino pare√ßam ausentes ou fracos num mundo t√£o degradado, distante de Deus e rebelde, este Reino existe, √© real, e h√° de prevalecer. Sinais deste reino tornam-se percept√≠veis quando pessoas ouvem a palavra solene do Rei e a ela obedecem.

Lutero e a Peti√ß√£o ‚ÄúVenha o teu reino.‚ÄĚ (Cat. Menor):¬† Quando e como acontece? Quanto o Pai celeste nos d√° o seu Esp√≠rito Santo (Esp√≠rito da Verdade), para crermos, por sua gra√ßa, em sua santa palavra e vivermos vida piedosa, neste mundo e na eternidade.

O Reinado de Deus n√£o √© deste mundo, mas come√ßa a acontecer neste mundo [quando damos ouvidos e obedecemos ao Rei]. E este reino h√° de manifestar-se na sua plenitude com a volta de Cristo. Seguir esse reino n√£o √© algo mec√Ęnico e autom√°tico. √Č preciso assumir posi√ß√£o, ou ao lado da verdade, ou do outro lado.

[Diante de tais afirma√ß√Ķes… Somos remetidos √† pergunta:

De que lado você está?

Qual é o reino que você procura? O reino de Pilatos? Ou o Reino de Jesus?]

Seguir este reino também não é um caminho repleto de lazer e de facilidades. Há pedras e percalços. Mas Jesus não nos deixa sozinhos. Ele caminha conosco e trata-nos com paciência e misericórdia. Confiemos nele e permitamos que ele nos oriente e conduza no novo ano que já se coloca no horizonte.

Amém.

Perguntas para reflex√£o:

1 ‚Äď O que significa aceitar Jesus como Rei e Senhor de nossas vidas?

2 ‚Äď Quais as caracter√≠sticas do reino do qual Jesus √© Rei?

Verdade, amor, misericórdia, justiça, bondade, sentido de vida, paz.

3 ‚Äď Quais s√£o as sementes desse reino semeadas neste √ļltimo ano?

4 ‚Äď Onde e como podemos semear no novo ano a fim de demonstrar que Jesus √© Rei?

Facebook

Get the Facebook Likebox Slider Pro for WordPress